CSP TIER2

Csp Tier 2: Saiba Como Tornar-Se Um Parceiro Pode Influenciar Na Sua Estratégia

CSP Tier 2 para VARs: saiba como pode influenciar na sua estratégia!

Manter uma parceria direta (Tier 1) com a Microsoft é difícil, e está se tornando cada vez mais complicado. O fabricante se tornou mais rigoroso e estabeleceu políticas restritas para os contratos anuais de suporte. Nesse cenário, o CSP Tier 2 surge como alternativa, especialmente por ser voltada, como a sigla indica, para revendedores de valor agregado.

Esse programa tem como foco auxiliar a gestão do ciclo de vida do cliente para seja feita uma entrega de ponta a ponta. A diferença do Tier 2 é que ele presta o auxílio e o suporte nas subscrições de maneira indireta, ou seja, por meio de uma empresa certificada.

Apesar disso, o processo é mais rápido que no outro modelo e as ofertas são as mesmas, ao ponto de impactarem de maneira positiva a sua estratégia organizacional. Quer saber mais sobre o assunto? Então, acompanhe este post e veja como esse trabalho funciona!

COMO FUNCIONA O CSP TIER 2?

O CSP indireto ainda consiste na oferta de um provedor de soluções em nuvem da Microsoft, para ajudar parceiros a comercializarem sistemas e licenças de serviço com suporte adicional. No entanto, por ter menos exigências, o Tier 2 é mais interessante que o 1, que se tornou muito burocrático.

O que acontece é o seguinte: a Microsoft vem alterando as regras para se tornar um parceiro direto. Esse processo é realizado porque esse modelo torna praticamente impossível manter toda a capacidade ferramental de automação para suportar gestão e investimento. Assim, apenas empresas com alta capacidade financeira conseguem chegar lá.

Por sua vez, o modelo CSP Tier 2 oferece ganho com escala e automação, porque você trabalha com um fornecedor, que se torna o seu ponto de contato e é mais acessível. As vantagens obtidas pelo formato indireto são:

  • Alcance de serviços com valor agregado;
  • suporte confiável;
  • gestão de clientes;
  • simplificação das cobranças.

Além disso, todos os parceiros conseguem ir para o mercado, seja um revendedor, seja aquele que deseja desenvolver as suas soluções integradas e entregar uma solução diferente e mais customizada. Isso acontece porque o prestador fornece um acompanhamento focado no apoio e desenvolvimento do que é preciso.

De outro lado, o parceiro vende o licenciamento e o serviço ou as soluções integradas que foram criadas. Tudo depende das demandas e do objetivo de fazer uma entrega adequada para o cliente final.

O QUE UM PROVEDOR DE CSP TIER 2 PODE OFERECER?

A maior dificuldade das empresas que desejam trabalhar com revenda é ter a ferramenta de billing, suporte e estrutura, que são as exigências da Microsoft. Como é difícil manter todos esses serviços, a parceria direta é, muitas vezes, inviabilizada.

Exige a manutenção de plataforma, marketplace, time e transação de CSP. Tudo isso é difícil e caro. Para você ter uma ideia, a Microsoft requer a contratação do suporte advanced, que custa, em média, 15 mil dólares. Ainda existem certificações adicionais e o alcance de metas.

Por isso, é mais difícil manter essa parceria do que chegar até esse patamar. Essa situação faz com que muitos estejam migrando para o modelo indireto. Assim, o fornecedor oferece esses requisitos e a sua empresa apenas desfruta dos benefícios.

Para fazer essa migração, o ideal é contar com um sistema de automação pronto para suportar os parceiros e go to market. O ferramental deve estar disponível para a empresa ganhar escala e se inserir no mercado de soluções integradas.

Em suma, a sua empresa usa a especialidade apoiada com as soluções e a expertise de um fornecedor, como a SoftwareONE. Com isso, você tem a chance de inovar de forma constante no seu negócio.

Isso acontece porque, por mais que os parceiros sejam tradicionais, oferecem o que tem de melhor com a modalidade serviços online e atender ao mercado. Assim, o fornecedor habilita o parceiro a entrar nessa jornada de transformação e são disponibilizados os recursos para os clientes.

COMO ENTRAR EM UMA PARCERIA POR MEIO DO CSP TIER 2?

Foco atual em três verticais:

  • o cliente tem a infraestrutura local adquirida para fornecer o serviço ao cliente final;
  • a infraestrutura está em nuvem, como ocorre na transformação digital, a fim de atender ao mercado e se reinventar para alcançar vantagem competitiva;
  • o modelo híbrido, em que a infraestrutura é local, mas a empresa oferece algo diferente ao cliente final, como o serviço de nuvem pública. A transformação acontece com os serviços online da Microsoft.

Dentro desses critérios estão:

  • parceiros integradores de sistema (SI), que são capazes de gerar mais valor de negócio aos usuários finais pela integração do portfólio global de suporte de nuvem, serviços e software de um fornecedor especializado, como a SoftwareONE;
  • hosters/SPLAs, que podem modernizar a infraestrutura com o Azure e o Office 365;
  • ISVs, que aceleram o desenvolvimento de soluções integradas e go to market, além de fornecer os canais necessários para escalar serviços e atingir outros mercados;
  • VARs/MSPs, que têm o programa ONEClub da SoftwareONE para promover, vender, faturar e fornecer assinaturas sem se preocuparem com análise de consumo de nuvem e telemetria.

Ao se enquadrar em um desses critérios, você pode firmar a parceria CSP Tier 2. Assim, é possível alcançar os seguintes benefícios:

  • simplicidade e eficiência nas vendas, com o apoio de uma empresa especializada e com expertise;
  • velocidade para o mercado devido à orientação de integração e definição de objetivos de negócio;
  • aumento do valor agregado pelo acesso às soluções integradas;
  • rapidez no suporte para facilitar a gestão de problemas;
  • efetividade de custo por deixar de ter uma parceria direta, que exige um gasto maior e que nem sempre tem o retorno esperado;
  • credibilidade, já que o parceiro é registrado para gerenciar o consumo de nuvem e ganhar incentivos de revendedor e reconhecimento de receita.

Em suma, o CSP Tier 2 é a melhor alternativa para quem deseja ter acesso a serviços gerenciados e focar em sua área de competência. Assim, é possível desenvolver o negócio ao mesmo tempo em que remove o ônus da gestão e o investimento necessário dessa operação.

Para isso, o ideal é firmar parceria com um fornecedor qualificado. Então, que tal conversar com a SoftwareONE? Entre em contato conosco e veja como podemos ajudar!

Comente esse artigo

Deixe seu comentário para sabermos o que você achou desse assunto.

Deixe um comentário

Autores

Rodrigo Eleoterio

Technology Services Lead

Partner and Channel Management

Artigos relacionados

  • 22 outubro 2020
  • Equipe de Redação
  • Nuvem Gerenciada
  • Nuvem, Estratégia em nuvem, ROI, investimento

A nuvem deve fazer parte do cotidiano de sua empresas

O mercado de nuvem na América Latina vale quase 4 bilhões de dólares segundo estudo do IDC. Se a nuvem já é realidade para grande maioria dos negócios, então qual é o próximo passo para a transformação digital?

  • 05 outubro 2020
  • Vinicius Batista da Silva
  • Nuvem Gerenciada
  • Nuvem, Estratégia em nuvem, Chatbot

O uso da nuvem para ampliar estratégias de atendimento digital

O atendimento digital é uma tendência quase inescapável para qualquer organização. Aprenda agora mesmo como a nuvem ajuda você a implementá-lo na sua empresa!

Conheça os principais entregáveis em um plano de migração na nuvem

Quer obter o máximo da tecnologia de nuvem? desenvolver um bom plano de migração para a nuvem é um passo essencial. Para ajudar você, preparamos este post