migracao

Medidas a se considerar ao migrar para serviços em nuvem

Lista – Medidas a se considerar ao migrar para serviços em nuvem

Cada vez mais as equipes de TI em empresas de todos os portes – das pequenas até às maiores – estão considerando seriamente a nuvem. Perto de 43% delas concordam em mudar para serviços em nuvem nos próximos 3 a 5 anos. No Relatório IT Trends da SolarWinds, 92% dos profissionais de TI concordaram que serviços em nuvem são importantes e 26% acreditam que isto é bastante crucial. Ao mesmo tempo, 60% também mencionou que eles nunca irão migrar para a nuvem inteiramente!

 

Então, devo ir pra nuvem mesmo?

A dedicação total de 100% dos serviços para a nuvem pode não ser um cenário ideal para a maioria das organizações, no momento. A TI híbrida, que é uma abordagem para gerenciar os serviços “em-casa” com os benefícios da nuvem, pode gerar mais lucro para as organizações.

 

Alguns dos benefícios da TI híbrida incluem:

  • Mais agilidade e flexibilidade da infra-estrutura
  • Redução de custos de infra-estrutura
  • Manutenção da infra-estrutura reduzida
  • Reafectação de recursos para atividades críticas de negócios

Apesar destes benefícios, existem algumas barreiras e desafios que as organizações enfrentam durante a adoção de serviços em nuvem. Um dos obstáculos mais colossais com certeza é a Segurança.

 

Abaixo estão listadas algumas das outras apreensões sobre migração para a nuvem:

1. Escolha da Nuvem – privadas, públicas e híbridas cada nuvem têm alguns benefícios específicos. É importante saber qual delas melhor se adapta às necessidades de negócios. Enquanto o modelo de nuvem pública oferece alta escalabilidade e o modelo de nuvem privada oferece um melhor controle on premises, a abordagem híbrida combina tanto pelo aprovisionamento para mais dependência e flexibilidade.

2. Proteção de Dados e Rede – Muitos provedores de serviços de nuvem afirmam ter metodologias de segurança fortes, mas às vezes, grandes empresas de TI podem contar com as técnicas vigentes quando se trata de enormes centros de dados. Embora, a tecnologia para garantir a computação em nuvem, teoricamente, exista, manter a proteção coerente dessas cargas de trabalho muitas vezes exige medidas inovadoras únicas.

3. Criação de um Protótipo – Enquanto se move em direção a migração para a nuvem, é necessário ter um plano detalhado de aspectos técnicos, como a configuração de nuvem, aplicação de re-engenharia, disponibilidade de recursos, sistemas de segurança, etc. Várias facetas, como banco de dados compartilhado, migração de sistema operacional e configuração ideal de ambiente virtualizado devem ser analisadas por um desempenho equilibrado.

4. Observando os Níveis de Serviço – Além de criar o protótipo, as empresas devem assegurar que o nível de serviço oferecido por um determinado aplicativo baseado em nuvem é correlativo com os padrões de serviço atuais. Ou seja, os níveis de assistência básicos como o desempenho do aplicativo, segurança, privacidade e conformidade regulamentar não devem ser comprometidos.

5. Planejamento e Execução – Todos as migrações devem ser planejadas meticulosamente para garantir que todos os parâmetros do ambiente são considerados e o projeto cuidar dos requisitos não-funcionais.

6. Saber o Custo e Aplicações – Antes de se mudar para a nuvem, a TI precisa estar consciente do custo operacional e o papel das aplicações durante este processo. Compreender quais aplicações e sistemas que são o ajuste perfeito para a migração para a nuvem é o passo mais rentável para a primeira etapa do processo de migração.

7. Confidencialidade de Dados – Organizações devem começar adoções de nuvem com sistemas não-críticos. E ao longo do tempo, como as equipes estão confortáveis com o novo ambiente, que podem então mover os sistemas críticos. Com esta abordagem, as organizações estão garantindo a segurança de seus sistemas críticos e dados essenciais. Fazer isso não só vai manter seus dados seguros, mas consolidá-los também.

8. Plano de saída – Há a possibilidade das empresas também optarem por mover para fora do espaço da nuvem por causa de determinadas razões. Assim, manter uma estratégia de saída on premises, de modo a preparar para uma perda substancial.

A estratégia de migração para a nuvem funciona como um guia ou lista de verificação para despesas não planejadas, especialmente os mais inesperados, bem como o efeito da migração sobre a empresa.

Domine sua migração para nuvem

Saiba como planejar a sua migração para nuvem neste eBook

Baixe nosso eBook

Comente esse artigo

Deixe seu comentário para sabermos o que você achou desse assunto.

Deixe um comentário

Autores

Equipe de Redação

IT Trends and industry-relevant novelties

Artigos relacionados

  • 22 outubro 2020
  • Equipe de Redação
  • Nuvem Gerenciada
  • Nuvem, Estratégia em nuvem, ROI, investimento

A nuvem deve fazer parte do cotidiano de sua empresas

O mercado de nuvem na América Latina vale quase 4 bilhões de dólares segundo estudo do IDC. Se a nuvem já é realidade para grande maioria dos negócios, então qual é o próximo passo para a transformação digital?

  • 05 outubro 2020
  • Vinicius Batista da Silva
  • Nuvem Gerenciada
  • Nuvem, Estratégia em nuvem, Chatbot

O uso da nuvem para ampliar estratégias de atendimento digital

O atendimento digital é uma tendência quase inescapável para qualquer organização. Aprenda agora mesmo como a nuvem ajuda você a implementá-lo na sua empresa!

Conheça os principais entregáveis em um plano de migração na nuvem

Quer obter o máximo da tecnologia de nuvem? desenvolver um bom plano de migração para a nuvem é um passo essencial. Para ajudar você, preparamos este post