CSEM

Csem: Conheça O Gerenciamento De Despesas De Serviços Em Nuvem

CSEM: conheça o gerenciamento de despesas de serviços em nuvem

Introdução

A alocação de custos em nuvem se tornou uma grande preocupação para a maioria das empresas com seus negócios. Os gerentes estão usando cada vez mais ferramentas automatizadas, como o CSEM que significa Cloud Service Expense Management — em português, Gerenciamento de Despesas de Serviços em Nuvem. De acordo com o recente estudo da Gartner, “as organizações que utilizam o IaaS sem os processos do Gerenciamento de Despesas do Serviço Cloud (CSEM) quase certamente terão gastos desnecessários”. Mas o que é e como fazer um gerenciamento de despesas de serviços em nuvem? É o vamos mostrar neste e-book! Continue lendo e aprenda com o nosso conteúdo. Confira!

Por que as empresas não conhecem o CSEM?

A essencialidade do gerenciamento de despesas se torna relevante quando se trata de alavancar a nuvem. Em um mundo cada vez mais tecnológico em que, sob demanda se vai pagando à medida que se consome, os modelos de preços são tranquilizadores.

Mas quando se passa um tempo aproveitando os benefícios até então indisponíveis na nuvem, como escalabilidade, disponibilidade entre outros, mesmo os usuários veteranos negligenciam a manutenção de uma pista detalhada de seus gastos.

Posteriormente, os gastos excessivos e os custos ocultos os colocam em uma situação inábil para controlar as despesas. Além disso, apenas um pequeno grupo de empresas estão tomando ações severas para otimizar seus custos, como desligar as cargas de trabalho e instâncias não utilizadas ou optar por nuvens ou regiões de baixo custo.

Segundo o Gartner, “as organizações estão consumindo serviços na nuvem em um limite de 30% CAGR, culminando em bilhões de dólares de gastos — que se espera que seja de US $ 200 bilhões em 2020.”

Com todo o extenso acondicionamento feito por propaganda, “ter mais” é mais um problema, especialmente quando você toma a decisão de estar na nuvem e não toma a abordagem certa para medir essa decisão.

Embora o controle de despesas e a decodificação das tendências de cobrança associadas à nuvem evoluíram, ainda há muitos aspectos para melhorar e resolver as consultas persistentes sobre em quem confiar para que as despesas sejam gerenciadas.

Como começar a fazer CSEM?

A computação em nuvem tornou-se uma plataforma de TI relativamente fácil de usar. A organização gerencia os recursos de autoatendimento dos usuários finais para que eles possam criar uma nova instância de um serviço ou aplicativo, conforme necessário. Clientes e o setor tecnológico colhem benefícios, porém, podem causar estragos nas despesas de TI.

Cada imagem gerada na nuvem consome recursos básicos, que não são gratuitos. No entanto, os maiores custos nas nuvens de autoatendimento são imagens zumbis: sistemas que são utilizados por um tempo e depois descartados. Em vez de desligar de forma simples a instância, o usuário pode esquecer desse passo, deixando os recursos e serviços que ele consome inativos e inúteis.

O resto da pilha de zumbis — servidor de aplicativos e banco de dados — continua funcionando livremente na infraestrutura de nuvem, custando à empresa sem adicionar nenhuma utilidade. Na maioria dos casos, um sistema operacional completo e licenciado vem juntamente com o contrato de manutenção associado.

Tendo isso em mente, o planejamento de implantação do CSEM é fundamental para enxugar custos desnecessários com recursos do serviço de nuvem. O monitoramento ostensivo é um dos caminhos para iniciar a implantação do gerenciamento de custos.

Visibilidade no inventário da nuvem

A falta de visibilidade na nuvem pode levar a uma gestão fraca de recursos. A gestão eficaz começa com uma análise aprofundada de toda a sua infraestrutura. E se alguns recursos na nuvem não forem utilizados por falta de treinamento, mas a organização ainda estiver pagando por eles, os custos subirão desnecessariamente e reduzirão as economias de infraestrutura e outros benefícios financeiros que a nuvem pode trazer.

Os administradores que têm acesso aos painéis de recursos detalhados estão equipados para organizar, gerenciar e otimizar melhor esse ecossistema em todas as contas, nuvens, departamentos e equipes.

Análise de custos

Não importa o seu ambiente em nuvem, além de rastrear o que você gastou, é importante projetar o que vai gastar. Você precisa de detalhes consolidados e granulares na forma de relatórios gráficos e tabulares interativos em várias dimensões, cronogramas em um ambiente multinuvem para correlacionar dados para análise e relatórios que contenham os objetivos de negócio da sua empresa.

Acesso baseado em função

Permita que os usuários gerenciem ativamente a infraestrutura depois de configurar um mecanismo da Enterprise Wide que defina claramente permissões e acessibilidade dentro da plataforma.

Limite os dados e as ações visíveis aos usuários por funções e identifique quem lançou, encerrou ou alterou a infraestrutura e o que eles fizeram para tomar medidas corretivas e controlar custos.

Rastreamento com Cloudcheckr

Essa ferramenta fornece uma plataforma de gerenciamento que suporta implantações de nuvem pública na Amazon Web Services (AWS), Microsoft Azure e Google Cloud Platform, proporcionando aos clientes em nuvem pública mais visibilidade e controle sobre custos, desempenho e segurança.

Ela também permite que uma empresa rastreie seus gastos totais em vários recursos de computação em nuvem, como instâncias de máquinas virtuais e provedores. As análises preditivas ajudam os usuários com futuros gastos e os relatórios e recomendações de dimensionamento direto ajudam a identificar e eliminar recursos desnecessários. A plataforma também pode enviar alertas para garantir que uma organização atenda a todos os requisitos de governança da nuvem e lida com faturamento e cobrança para vários departamentos de negócios.

Gerenciamento com CloudFormation

Amazon Web Services CloudFormation é um serviço gratuito que fornece aos clientes as ferramentas que eles precisam para criar e gerenciar a infraestrutura que um aplicativo de software particular requer para ser executado no AWS.

Esse serviço tem duas partes: modelos e pilhas. Um modelo é um arquivo de texto JavaScript Object Notation (JSON). O arquivo, que é declarativo e sem scripts, define quais recursos AWS ou recursos não AWS são necessários para executar o aplicativo. Por exemplo, o modelo pode declarar que o aplicativo requer uma instância do Amazon Elastic Compute Cloud (EC2) e uma política de Gerenciamento de Identidade e Acesso (IAM).

Quando o modelo é enviado ao serviço, o CloudFormation cria os recursos necessários na conta do cliente e gera uma instância em execução do modelo, colocando dependências e fluxos de dados na ordem correta automaticamente. A instância em execução é chamada de uma pilha.

Os clientes podem fazer alterações na pilha depois de serem implantadas usando ferramentas CloudFormation e um processo de edição semelhante ao controle de versão. Quando uma pilha é excluída, todos os recursos relacionados são excluídos automaticamente.

Uma vantagem importante é que ele permite aos desenvolvedores automatizar as etapas de provisionamento de serviços de forma bastante simples. Não há custo extra para AWS CloudFormation. Os clientes apenas pagam pelos recursos AWS necessários para executar suas aplicações.

Instâncias com Trusted Advisor

É um serviço para clientes da AWS que fornece recomendações sobre desempenho, custo, segurança e tolerância a falhas. Ele fornece quatro tipos de recomendações gratuitas, incluindo limites de serviço, portas irrestritas, uso de gerenciamento de acesso de identidade e autenticação multifator na conta raiz.

O suporte de nível de desenvolvedor ou nível de empresa, que é cobrado mensalmente, dá aos usuários acesso a uma série de recomendações. Altos alertas de uso informam quando uma instância está sendo executada com 90% ou maior utilização da CPU em quatro ou mais dias.

Os administradores podem receber um alto alerta de uso porque as instâncias têm recursos de CPU insuficientes ou equipes de TI ajustaram com precisão e otimizaram a instância para uso. Se for o último, tenha cuidado. Isso não deixa muito espaço para escalar se atingir a demanda máxima, embora esse seja um problema a menos com a atualização automática.

Os resultados e o futuro do CSEM

A necessidade de serviços em nuvem cada vez mais migrará organizações para esse modelo, de modo que, para um bom desempenho e custos justos, as ferramentas de CSEM se mostram eficazes, gerando resultados para gestão. Como a capacidade de detectar proativamente problemas na utilização e os custos dos recursos da nuvem e corrigi-los antes de se tornar um problema maior.

Nos resultados do dia a dia, as empresas têm muito mais controle sobre os recursos da nuvem alavancados e o custo gerados pela utilização. Além disso, eles podem gerenciar internamente o uso, alterar os comportamentos para reduzir ainda mais os gastos e devolver mais valor ao negócio.

A capacidade de gerenciar nuvens complexas, como o movimento para híbrido e multinuvem, significa gerenciar a utilização e os custos de muitos servidores diferentes, aproveitando o melhor de diferentes modelos de preços e taxas. A capacidade de normalizar o uso dos serviços da nuvem que mudaram os preços e os termos buscará o melhor custo dos serviços.

Pode-se considerar o histórico de tempo de atividade e o desempenho nos modelos de custo. Isso é capaz de incluir coisas como não alavancar provedores de nuvem pública com um registro de excesso de interrupções no último ano ou identificar um provedor de nuvem que violou seu SLA e deve a empresa um reembolso.

O  Gartner afirma que “se você estiver usando IaaS sem processos do CSEM, você quase certamente terá gastos desnecessários”. Os analistas recomendam que “você examine a eficácia das ferramentas CSEM dedicadas imediatamente se o nível de gastos da IaaS da sua organização exceder 10% do orçamento de TI”.

10% do orçamento pode parecer bastante pequeno, mas para algumas organizações, 10% podem ser executados em milhões. O rendimento de contabilidade completa e global de todos os custos inclui serviços em nuvem, recursos provisionados, humanos, rede e integração, bem como a forma como todos esses custos são alocados entre aqueles que alavancam os recursos da nuvem.

Há a possibilidade de suportar auditorias, incluindo uma contabilidade completa sobre quais recursos de nuvem foram alavancados, quando, onde e por quem. Também é necessário aqui a capacidade derastrear quaisquer dependências que gerem custos adicionais — por exemplo os serviços de suporte que cobram por minuto — como parte do custo de um serviço específico da nuvem.

A melhor abordagem é que uma empresa habilite seu grupo de auditoria para garantir que o preço seja compatível com o contrato. Isso inclui capacitar o seu grupo de outsourcing com bits-chave de informações para negociar serviços em nuvem altamente utilizados, bem como serviços não contratados.

Além disso, a equipe executiva deve estar ciente de custos para que eles possam tomar decisões estratégicas de negócios importantes em relação ao uso de serviços na nuvem e os gastos gerados por eles.

Conclusão

Como os serviços em nuvem são cobrados e como os preços são calculados é uma área sempre em mudança e muito complexa. As empresas que desconhecem essas dinâmicas provavelmente pagam demais pelos serviços que utilizam.

Os sistemas de CSEM podem garantir que a empresa obtenha o melhor preço com base no horário do dia, uso de regiões da nuvem e descontos de volume. Esse modelo é semelhante ao espaço de telecomunicações.

As empresas consomem serviços em nuvem tanto quanto fizeram serviços de telecomunicações, de modo que os mesmos modelos e métricas são transferíveis para o uso da nova tecnologia dentro das empresas.

Finalmente, a computação em nuvem evoluiu para fornecer recursos de computação e hospedar aplicativos como um utilitário. As etapas discutidas neste e-book permitirão às organizações e profissionais de TI aumentarem seu retorno sobre o investimento enquanto os requisitos da qualidade de serviço estarão ainda satisfeitos.

A tecnologia da computação em nuvem tem um grande potencial para transformar a indústria de TI, há uma demanda de mercado cada vez maior e consequentemente maior concorrência entre provedores desse serviço.

Como resultado da demanda contínua, os preços baixam e é necessário ter estrutura de estimativa para os elementos de custo de computação em nuvem, o que é extremamente importante para suportar o desenvolvimento de políticas de gerenciamento de despesas de serviços.

Esperamos que o e-book tenha ajudado! Otimizar os custos podem ajudar não só a sua empresa a ser mais eficiente como mais lucrativa e competitiva.

  • Gestão de custos de nuvem

Comente esse artigo

Deixe seu comentário para sabermos o que você achou desse assunto.

Deixe um comentário

Autores

Equipe de Redação

IT Trends and industry-relevant novelties

Artigos relacionados

  • 26 agosto 2020
  • Equipe de Redação
  • Gestão de custos de nuvem, Transformacao Digital, Nuvem Gerenciada
  • Nuvem, Migração para nuvem, Transformação digital

Primeiros passos para a Transformação Digital

Para migrar para a nuvem é preciso definir e habilitar as prioridades de cada negócio, porem com tantas opções de nuvem no mercado, isso pode se tornar um processo difícil.

tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-microsoft-office-delve-e-o-delve-analytics
  • 05 março 2020
  • Equipe de Redação
  • Gestão de custos de nuvem

Processamento de dados: Como reduzir os custos para sua empresa?

Toda armazena dados importantes como métricas internas, dados de clientes etc. Porém será que a maneira que sua organização está utilizando pra armazenar os dados é a mais eficiente? Quer saber como reduzir custos com o processamento de dados…

tco e roi metricas para
  • 22 maio 2019
  • Equipe de Redação
  • Gestão de custos de nuvem

[INFOGRÁFICO] TCO e ROI: métricas para investimentos em TI

Além de essencial no dia a dia, a TI é um elemento em constante mudança. Por isso, investir em tecnologia deve ser algo bem planejado, especialmente no setor corporativo, em que as cifras são maiores e podem causar grande impacto ao negócio.